DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA

       
SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 02/11/2018

Fiéis podem lucrar indulgência para falecidos

Basta visitar cemitério ou igreja e rezar, lembra o bispo

 
O bispo dom Sergio celebrou a missa das 10 horas no Cemitério Parque Jardim Paraíso O bispo dom Sergio celebrou a missa das 10 horas no Cemitério Parque Jardim Paraíso | Crédito: AssCom Diocese de PG

      Milhares de pessoas passaram pelos cemitérios de toda a Diocese de Ponta Grossa neste dia 2, Dia de Finados. Na Igreja da Ressurreição Cemitério Parque Jardim Paraíso, administrado pela Cúria Diocesana, aconteceriam duas celebrações, às 10 e às 15 horas, Na missa da manhã, em sua homilia, o bispo dom Sergio Arthur Braschi destacou as duas principais atitudes de Jesus contidas no Evangelho de hoje: a humanidade e a sensibilidade, própria do ser humano, e a fé na ressurreição, no poder de Deus. “Acabamos de ouvir um trecho de um fato tão conhecido, onde o grande amigo de Jesus, Lázaro, faleceu. Jesus ficou profundamente comovido, chorou”, citou dom Sergio, referindo-se a passagem bíblica de João 11, em que, orando ao Pai, o rei da vida, Jesus ressuscita Lázaro.

      O bispo destacou que, para os cristãos, Finados tem outro sentido, não o de chorar os mortos. “Como Jesus passou pela sepultura e ressuscitou glorioso, temos a esperança da ressurreição. Vamos ao cemitério, rezamos, manifestamos esse carinho, mas sabemos que eles já estão lá, já atingiram a meta, estão mais próximos de Deus e da ressurreição. Isso para nós é consolador. Sempre gosto de lembrar que podemos, sobretudo, no Dia de Finados, ganhar indulgência plenária pelos falecidos”, explicou dom Sergio.  Segundo o bispo, isso se consegue visitando o cemitério ou qualquer igreja e fazendo pequenas orações nessa intenção. “O Creio, Pai Nosso e uma oração pelo Papa (Ave Maria ou Pai Nosso) na intenção de lucrar perdão completo pelas dividas que eventualmente aquela pessoa tenha ainda dos seus pecados passados”.

      Dom Sergio enfatizou que se pode lucrar o perdão várias vezes, cada vez que se entra em uma igreja ou cemitério. “Peço que os diocesanos não se esqueçam de aproveitar essa graça que a mãe Igreja oferece. Lembrando que nos outros dias, 1,,3,4, 5, 6, 7 e 8, pode-se lucrar uma indulgência plenária por dia,.visitando uma Igreja. Como pré-condição, a Igreja orienta que se faça uma boa confissão e procure comungar”, detalhou o bispo.

      No Cemitério Jardim Paraíso, houve programação especial neste dia. Além de missa, adoração, confissões, atendimentos de diáconos e trabalho de evangelização com os jovens da Comunidade Shalom. Maria Rosa Ribeiro, que veio rezar pelo marido e pelo irmão falecidos, contou vir ao cemitério todos os anos. “Venho rezar pela memória deles. Pelo meu marido venho também no aniversário de morte. Quando rezava o terço, duas jovens chegaram e se ofereceram para rezar junto. Foi maravilhoso! Agradeço muito. Ano passado, um padre perguntou se podia rezar comigo”, afirmou.

      Alana Caroline Carneiro e Cibele Rodrigues são da Shalom. “É sempre uma experiência nova servir em Finados, no Dia dos Pais e no Dia das Mães. É renovar o chamado, ir ao encontro dos que sofrem e aprender com o sofrimento do outro através da dor do luto e da saudade”, dizia Alana. “É ofertar a vida por algo maior”, complementou Cibele.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Catequistas avaliam caminhada e planejam 2019 | Diocese assume gestão de monumento em Irati | A dependência química vista sob novo olhar | Femuc terá show da Colo de Deus |





Publicado em: 02/11/2018

Fiéis podem lucrar indulgência para falecidos

Basta visitar cemitério ou igreja e rezar, lembra o bispo

 

      Milhares de pessoas passaram pelos cemitérios de toda a Diocese de Ponta Grossa neste dia 2, Dia de Finados. Na Igreja da Ressurreição Cemitério Parque Jardim Paraíso, administrado pela Cúria Diocesana, aconteceriam duas celebrações, às 10 e às 15 horas, Na missa da manhã, em sua homilia, o bispo dom Sergio Arthur Braschi destacou as duas principais atitudes de Jesus contidas no Evangelho de hoje: a humanidade e a sensibilidade, própria do ser humano, e a fé na ressurreição, no poder de Deus. “Acabamos de ouvir um trecho de um fato tão conhecido, onde o grande amigo de Jesus, Lázaro, faleceu. Jesus ficou profundamente comovido, chorou”, citou dom Sergio, referindo-se a passagem bíblica de João 11, em que, orando ao Pai, o rei da vida, Jesus ressuscita Lázaro.

      O bispo destacou que, para os cristãos, Finados tem outro sentido, não o de chorar os mortos. “Como Jesus passou pela sepultura e ressuscitou glorioso, temos a esperança da ressurreição. Vamos ao cemitério, rezamos, manifestamos esse carinho, mas sabemos que eles já estão lá, já atingiram a meta, estão mais próximos de Deus e da ressurreição. Isso para nós é consolador. Sempre gosto de lembrar que podemos, sobretudo, no Dia de Finados, ganhar indulgência plenária pelos falecidos”, explicou dom Sergio.  Segundo o bispo, isso se consegue visitando o cemitério ou qualquer igreja e fazendo pequenas orações nessa intenção. “O Creio, Pai Nosso e uma oração pelo Papa (Ave Maria ou Pai Nosso) na intenção de lucrar perdão completo pelas dividas que eventualmente aquela pessoa tenha ainda dos seus pecados passados”.

      Dom Sergio enfatizou que se pode lucrar o perdão várias vezes, cada vez que se entra em uma igreja ou cemitério. “Peço que os diocesanos não se esqueçam de aproveitar essa graça que a mãe Igreja oferece. Lembrando que nos outros dias, 1,,3,4, 5, 6, 7 e 8, pode-se lucrar uma indulgência plenária por dia,.visitando uma Igreja. Como pré-condição, a Igreja orienta que se faça uma boa confissão e procure comungar”, detalhou o bispo.

      No Cemitério Jardim Paraíso, houve programação especial neste dia. Além de missa, adoração, confissões, atendimentos de diáconos e trabalho de evangelização com os jovens da Comunidade Shalom. Maria Rosa Ribeiro, que veio rezar pelo marido e pelo irmão falecidos, contou vir ao cemitério todos os anos. “Venho rezar pela memória deles. Pelo meu marido venho também no aniversário de morte. Quando rezava o terço, duas jovens chegaram e se ofereceram para rezar junto. Foi maravilhoso! Agradeço muito. Ano passado, um padre perguntou se podia rezar comigo”, afirmou.

      Alana Caroline Carneiro e Cibele Rodrigues são da Shalom. “É sempre uma experiência nova servir em Finados, no Dia dos Pais e no Dia das Mães. É renovar o chamado, ir ao encontro dos que sofrem e aprender com o sofrimento do outro através da dor do luto e da saudade”, dizia Alana. “É ofertar a vida por algo maior”, complementou Cibele.


Diocede Ponta Grossa
O bispo dom Sergio celebrou a missa das 10 horas no Cemitério Parque Jardim Paraíso   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
O bispo dom Sergio celebrou a missa das 10 horas no Cemitério Parque Jardim Paraíso   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
Milhares de pessoas foram aos cemitérios rezar pelos seus entes queridos   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
Milhares de pessoas foram aos cemitérios rezar pelos seus entes queridos   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
Padres atenderam confissões durante todo o dia no cemitério   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
As pessoas sozinhas ganharam a companha de jovens da Comunidade Shalom para rezar   |   AssCom Diocese de PG


Navegue até a sua Paróquia



Cúria
Cúria
Imprensa
Clipping
Download