DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA

       
SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 30/10/2018

Homilia de padre chega a 12 milhões de pessoas

O minissermão é disparado via Whats App em quatro idiomas

 
O padre dos minissermões credita o sucesso de suas homilias a naturalidade, a brevidade e a regularidade O padre dos minissermões credita o sucesso de suas homilias a naturalidade, a brevidade e a regularidade | Crédito: Marcelle/Paróquia Nossa Senhora de Fátima/Telêmaco Borba

      Famoso no meio católico também pelo seu mini-sermão, padre Joãozinho conta que sua mini-homilia começou em 2013, com a popularização do Twitter, uma rede em que se podia, inicialmente, se digitar mensagens apenas de 140 caracteres. Em janeiro de 2013, ele digitou um sermão de 140 toques, que viralizou. Com o surgimento do Whats App o minissermão migrou, passou a ser gravado em áudio e, hoje, chega a 12 milhões de pessoas em português, inglês, espanhol, alemão e também em libras.   

      O padre explica que o minissermão começa com um núcleo sintético escrito, que depois é gravado em até um minuto. “É um discurso completo. Levei 25 anos para aprender fazer uma homilia em um minuto. Nos primeiros anos como padre tinha um programa de televisão, Palavra de Deus, que tinha três minutos. Fazia junto com padre Leo, dom Murilo Ramos Krüger...E também fui padre em São Paulo onde celebrava missa de 30 minutos, durante a semana, e a homilia não podia passar de três minutos. Isso ficou na cabeça. Quando surgiu esse desafio achei que seria mais fácil. Confesso que levei um tempo até pegar o jeito da coisa”, detalha.

      Padre Joãozinho conta que existe um sistema que envolve todas as redes sociais e um grupo de 50 de pessoas, “extremamente engajadas, pastores virtuais”, destaca, que recebem um dia antes o minissermão e mandam nos 200 grupos de Whats, também no Instagram e Facebook. A estimativa é que, só pelo Whats ele chega diariamente, até o meio dia, a 12 milhões de pessoas. “Viralizar o bem e a verdade não é fácil. Existem pesquisas que dizem que uma mentira tem 80% mais chance de viralizar do que uma verdade. E parece que o diabo, que é o pai da mentira, aprendeu a usar o celular”, brinca.

      O segredo, comenta o padre, está no estado de espírito. Ele leva uma hora para fazer dez e não faz mais do que dez minissermões por dia. “Demanda uma energia muito grande. Tenho um grupo com três pessoas, que coloca a citações, copio no grupo, leio o Evangelho do dia e procuro contemplá-lo e não meditá-lo. Aprendi com São João da Cruz. Procuro sair daquela sucessividade própria do racional. O segredo é jogar para o inconsciente tudo o que puder, de estudo, de ideia, e permitir que no inconsciente aconteçam sinapses simultâneas. Não posso concluir precisa intuir. É feito na inspiração e não na conclusão”

      O sucesso padre Joãozinho atribui 10% a inspiração e 90% a transpiração. “São cinco anos sem falhar nenhum dia, sempre no mesmo horário, sempre de manhã. Primeiro escrevo 140 caracteres, leio, libero outra forma de intuição que é a falada. Falo a continuação, sem ler. Por isso é tão natural”, acrescenta, citando que o segredo é a espontaneidade, a regularidade, a perseverança e a brevidade, por se tratar do mundo virtual, onde as pessoas são extremamente dispersivas, segundo ele. “Tem que marcar a mesma hora, mesmo local, o mesmo jeito. Tem de ter rotina, se não tiver rotina você naufraga neste mar”, ensina.


  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Catequistas avaliam caminhada e planejam 2019 | Diocese assume gestão de monumento em Irati | A dependência química vista sob novo olhar | Femuc terá show da Colo de Deus |





Publicado em: 30/10/2018

Homilia de padre chega a 12 milhões de pessoas

O minissermão é disparado via Whats App em quatro idiomas

 

      Famoso no meio católico também pelo seu mini-sermão, padre Joãozinho conta que sua mini-homilia começou em 2013, com a popularização do Twitter, uma rede em que se podia, inicialmente, se digitar mensagens apenas de 140 caracteres. Em janeiro de 2013, ele digitou um sermão de 140 toques, que viralizou. Com o surgimento do Whats App o minissermão migrou, passou a ser gravado em áudio e, hoje, chega a 12 milhões de pessoas em português, inglês, espanhol, alemão e também em libras.   

      O padre explica que o minissermão começa com um núcleo sintético escrito, que depois é gravado em até um minuto. “É um discurso completo. Levei 25 anos para aprender fazer uma homilia em um minuto. Nos primeiros anos como padre tinha um programa de televisão, Palavra de Deus, que tinha três minutos. Fazia junto com padre Leo, dom Murilo Ramos Krüger...E também fui padre em São Paulo onde celebrava missa de 30 minutos, durante a semana, e a homilia não podia passar de três minutos. Isso ficou na cabeça. Quando surgiu esse desafio achei que seria mais fácil. Confesso que levei um tempo até pegar o jeito da coisa”, detalha.

      Padre Joãozinho conta que existe um sistema que envolve todas as redes sociais e um grupo de 50 de pessoas, “extremamente engajadas, pastores virtuais”, destaca, que recebem um dia antes o minissermão e mandam nos 200 grupos de Whats, também no Instagram e Facebook. A estimativa é que, só pelo Whats ele chega diariamente, até o meio dia, a 12 milhões de pessoas. “Viralizar o bem e a verdade não é fácil. Existem pesquisas que dizem que uma mentira tem 80% mais chance de viralizar do que uma verdade. E parece que o diabo, que é o pai da mentira, aprendeu a usar o celular”, brinca.

      O segredo, comenta o padre, está no estado de espírito. Ele leva uma hora para fazer dez e não faz mais do que dez minissermões por dia. “Demanda uma energia muito grande. Tenho um grupo com três pessoas, que coloca a citações, copio no grupo, leio o Evangelho do dia e procuro contemplá-lo e não meditá-lo. Aprendi com São João da Cruz. Procuro sair daquela sucessividade própria do racional. O segredo é jogar para o inconsciente tudo o que puder, de estudo, de ideia, e permitir que no inconsciente aconteçam sinapses simultâneas. Não posso concluir precisa intuir. É feito na inspiração e não na conclusão”

      O sucesso padre Joãozinho atribui 10% a inspiração e 90% a transpiração. “São cinco anos sem falhar nenhum dia, sempre no mesmo horário, sempre de manhã. Primeiro escrevo 140 caracteres, leio, libero outra forma de intuição que é a falada. Falo a continuação, sem ler. Por isso é tão natural”, acrescenta, citando que o segredo é a espontaneidade, a regularidade, a perseverança e a brevidade, por se tratar do mundo virtual, onde as pessoas são extremamente dispersivas, segundo ele. “Tem que marcar a mesma hora, mesmo local, o mesmo jeito. Tem de ter rotina, se não tiver rotina você naufraga neste mar”, ensina.


Diocede Ponta Grossa
O padre dos minissermões credita o sucesso de suas homilias a naturalidade, a brevidade e a regularidade   |   Marcelle/Paróquia Nossa Senhora de Fátima/Telêmaco Borba


Navegue até a sua Paróquia



Cúria
Cúria
Imprensa
Clipping
Download