Destaques:
Pesquisar:  
Reitoria do Sagrado Coração de Jesus
ANTERIOR 1 de 10 PRÓXIMO

Popularmente chamada de Igreja dos "poloneses".

Igreja de Adoração Perpétua da Eucaristia.

No ano de 1878, 28 famílias de imigrantes poloneses estabeleceram-se na Colônia Moema, no Município de Ponta Grossa. Logo depois, mais famílias chegaram, surgindo novas colônias: Taquari, Guaraúna, Rio Verde e Itaiacoca.

O imigrante polonês Ludovico Szesz montou a primeira Indústria de madeira serrada "tocada a muque", nas cercanias de Ponta Grossa. Por volta de 1880 esse industrial mudou-se para a cidade, instalando na Praça São João a primeira Industria de Torrefação e Moagem de Café em Ponta Grossa. Logo depois, outro polonês montou um moinho de sal e açúcar; e, alguns anos mais tarde, vários poloneses vieram morar na cidade.

Os católicos poloneses desejavam muito um sacerdote que lhes desse apoio na fé e os ajudasse na educação de seus filhos. Assunto freqüente era a construção de uma Igreja. Em 1896 chegou o Pe. Antônio Rymar, sacerdote diocesano, que no mesmo ano, dirigiu uma petição à Prefeitura Municipal solicitando um terreno. No dia 11 de janeiro de 1897 a Prefeitura respondeu positivamente e doou o terreno na esquina das ruas: Dr. Vicente Machado e Balduíno Taques, na época Praça São João. Logo a seguir foi iniciada a construção da Igreja, concluída em 1898. Foi dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, sendo chamada "A Igreja dos Poloneses". A Igreja serviu durante muito tempo à Comunidade Princesina, até que, em 1920, a sociedade polonesa colaborou com o Pe. Roberto Bonk para a construção de uma nova Igreja.

Atualmente é administrada pelos Padres – Servos da Santíssima Eucaristia, que tem por carisma a adoração permanente da Santíssima Eucaristia. É uma Igreja de Adoração Permanente da Eucaristia. Nesta Igreja se encontra o túmulo de Dom Antonio Mazzarotto – 1º. Bispo diocesano.

Existia ao lado da Matriz do Sagrado Coração, na praça Barão de Guaraúna, uma tosca Capelinha sob a invocação de São João Batista. Desconhece-se a data de fundação e extinção.

Durante a sua história a Reitoria teve vários padres reitores.

 

Atualmente é um verdadeiro Santuário de Adoração à Jesus Sacramentado, administrado pelos Padres Servos da Eucaristia.

São feitas Celebrações Eucarísticas diáriamente e no final de Semana.

 

 

Criação da Reitoria: 07 de janeiro de 1907.
 
Alguns Reitores Anteriores:
 
Pe. Antônio Rymar (1896 – 1905).
Pe. João Wolenczew (1906).
Pe. Guilherme Maria Tyliczek, SVD (1906 – 1908).
Pe. Francisco Mehl, SVD (1908 – 1911).
Pe. Teodoro Drapeiwski, SVD (1911 – 1912).
Pe. Pedro Hayda, SVD (1912 – 1913).
Pe. José Kozok, SVD (1914 – 1916).
Pe. Paulo Domim, SVD (1916 – 1922).
Pe. Robert Bonk, SVD (1922 – 1964).
Pe. João Salanczuk, SVD (1964).
Pe. Vicente Wrosz, SVD (1964 – 1966).
Párocos

1º. Pároco:  Pe. Antônio Rymar  - 1896 até 1905
2º. Pároco:  Pe. Flávio Senger SSE  - 2007 até 2009
3º. Pároco:  Pe. Delcir Zamboni  - 2010 até

Pastorais e Movimentos

Atendimento Pastoral
Confissões:
Atendimento de Confissões De Segunda-feira até Sábado: 10:00 hs - manhã. 15:00 hs - tarde. Obs.: Não há atendimento de confissões aos Domingos e Feriados

Expediente na Secretaria Paroquial:
Atendimento dentro do horário comercial.

Contato

Rua: Rua: Pça. Barão de Guaraúna    Centro - Cx. Postal:685
Fone (42)3224-6141  Fax (42)3226-4324 
Ponta Grossa   PR
E-mail: flaviosse@yahoo.com.br

Oração

  

 SÃO PEDRO JULIÃO EYMARD

PATRONO DOS SERVOS DA SANTÍSSIMA EUCARISTIA

O Santo pôde com seus lábios e vida proclamar "para mim, viver é Cristo, e Cristo Sacramentado". Nascido no século XIX marcou toda a Igreja com o verdadeiro culto a Jesus Eucarístico, São Pedro Julião Eymard pertencia a uma família tão religiosa que a própria mãe o levava diariamente na Igreja para receber a benção do Santíssimo.

Certa vez o menino de cinco anos desapareceu de casa e quando o procuraram na igreja encontraram Pedro diante do sacrário com esta resposta lábios: "Estou falando com Jesus". Foi à luz do Cristo Eucarístico que Pedro descobriu sua vocação ao sacerdócio, a qual concretizou-se depois vencer as oposições do pai, tornando-se assim um padre secular e mais tarde religioso na Congregação dos Maristas.

São Pedro Eymard percebendo a indiferença do povo para com Jesus Eucarístico e inspirado por Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, fundou o Intitulo do Santíssimo Sacramento, pois tinha concluído: "É necessário tirar Cristo do sacrário, apresentá-lo ao povo como grande Senhor, Mestre, Salvador, vivo, real em nosso meio". Viajando toda a França, deixando vários escritos, abrangendo sacerdotes, religiosas e leigos na sua obra em honra ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento, São Pedro tudo conseguiu por causa do auxílio da Graça e tempera diante dos inúmeros sofrimentos, isto até entrar na adoração eterna no Céu em 1868.

 

ROTEIRO PARA ADORAÇÃO EUCARÍSTICA - Sugestão

(Chegada em silêncio. Após a chegada canta-se um refrão meditativo, após alguns momentos acendem-se as velas preparadas no altar.)

 

1. SAUDAÇÃO

P- Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T- Amém!
P- A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.
T- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 2. MOTIVAÇÃO

P- Reunidos para este momento de oração e adoração do Cristo presente no Sacramento Eucarístico, queremos recordar que esta presença decorre da Celebração Eucarística e a ela nos deve encaminhar. A piedade que nos leva à adoração da Santíssima Eucaristia move-nos também a participar radicalmente do mistério pascal. Permanecendo diante do Cristo Senhor, gozamos da íntima familiaridade com Ele, e abrindo-lhe o coração, pedimos por nós mesmos e por todos, pela paz e salvação do mundo. Oferecendo com Cristo toda nossa vida ao Pai, pela força do Espírito Santo, pedimos o aumento da nossa fé, esperança e caridade. Alimentamos assim, as disposições que nos levam a celebrar com a devida devoção, o memorial do Senhor e a receber com freqüência o Pão que nos foi dado pelo Pai. Reconhecendo a grandiosidade e a maravilha da obra criadora, elevemos nosso louvor e gratidão a Deus, entoando o cântico das criaturas:

3. HINO

Onipotente e bom Senhor, * a ti a honra, glória e louvor; * Todas as bênçãos de ti nos vêm * e todo o povo te diz: Amém!

Louvado sejas nas criaturas, * primeiro o sol lá nas alturas. * Clareia o dia, grande esplendor, * radiante imagem de ti, Senhor. * Louvado sejas pela irmã lua, * no céu criaste, é obra tua.

Pelas estrelas claras e belas * Tu és a fonte do brilho delas. * Louvado sejas pelo irmão vento * e pelas nuvens, o ar e o tempo, * E pela chuva que cai no chão * nos dás sustento, Deus da Criação.

Louvado sejas, meu bom Senhor, * pela irmã água e seu valor. * Preciosa e casta, humilde e boa, * se corre, um canto a ti entoa. * Louvado sejas, ó meu Senhor, * pelo irmão fogo e seu calor.

Clareia a noite, robusto e forte * belo e alegre, bendita sorte. * Sejas louvado pela irmã terra, * mãe que sustenta e nos governa * Produz os frutos, nos dá o pão * com flores e ervas sorri o chão.

Louvado sejas, meu bom Senhor, * pelas pessoas que em teu amor, * Perdoam e sofrem tribulação, * felicidade em ti encontrarão. * Louvado sejas pela irmã morte * que vem a todos, ao fraco e ao forte.

Feliz aquele que te amar, * a morte eterna não o matará. * Bem-aventurado quem guarda a paz * pois o Altíssimo o satisfaz. * Vamos louvar e agradecer, * com humildade, ao Senhor bendizer.

4. RECONHECENDO AS PRESENÇAS DE CRISTO

L- “A obra da redenção humana e da perfeita glorificação de Deus, que tem o seu prelúdio nas maravilhas divinas operadas no povo do Antigo Testamento, completou-a o Cristo Senhor, especialmente pelo mistério pascal de sua sagrada paixão, ressurreição dos mortos e gloriosa ascensão. Por este mistério, Cristo morrendo, destruiu a nossa morte e, ressurgindo, deu-nos a vida. Pois, do lado de Cristo agonizante sobre a cruz nasceu o admirável sacramento da Igreja. Para realizar tão grande obra, Cristo está sempre presente em sua Igreja.” (SC 5).

Todas as vezes que nos reunimos Ele está presente no meio de nós: “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí no meio deles.” (Mt 18,20). Somos o seu corpo, Ele age em nossas ações, “Eis que eu estarei convosco todos os dias, até o fim dos tempos.” (Mt 28,20). Por isso, em todos os momentos Ele está conosco, mesmo quando é noite, não estamos sós.

 Refrão cantado:
Fica conosco Senhor, é tarde e a noite já vem.
Fica conosco Senhor, somos teus seguidores também.

L- “Cristo está presente na sua Palavra, pois é Ele que fala quando na Igreja se lêem as Sagradas Escrituras.” (SC 7). Portanto, quando ouvimos as Escrituras Ele nos fala e aquece nosso coração.

Refrão cantado:
Fala Senhor, fala da vida,
Só tu tens Palavra eterna, queremos ouvir!

L- Jesus Cristo está presente na pessoa do pobre e excluído. Todas as vezes que fazemos algo por estes, é ao próprio Cristo que o fazemos. (Cf. Mt25,40).


Refrão cantado:
Entre nós está e não o conhecemos,
Entre nós está e nós o desprezamos.

L- Presente na Assembléia reunida, na Palavra proclamada e no pobre, Jesus Cristo está presente de modo especial no Pão Eucaristizado.

 5. CANTO PARA EXPOSIÇÃO DO SANTÍSSIMO
(Enquanto se canta realiza-se a exposição do Santíssimo Sacramento)

/:Eu vim para que todos tenham vida,
 que todos tenham vida plenamente.:/

Reconstrói a tua vida em comunhão com teu Senhor,
Reconstrói a tua vida em comunhão com teu irmão.
Onde está o teu irmão, eu estou presente nele.

Quem comer o pão da vida viverá eternamente.
Tenho pena deste povo que não tem o comer.
Onde está um irmão com fome, eu estou com fome nele.

Eu passei fazendo o bem, eu curei todos os males.
Hoje és minha presença junto a todo sofredor.
Onde sofre o teu irmão, eu estou sofrendo nele.

Entreguei a minha vida pela salvação de todos.
Reconstrói, protege a vida de indefesos e inocentes.
Onde morre o teu irmão, eu estou morrendo nele.

P- Graças e louvores se dêem a todo o momento.
T- Ao Santíssimo e Digníssimo Sacramento.

 

6. MOMENTO DE SILÊNCIO
(Após a exposição do Santíssimo faz-se alguns minutos de silêncio, a seguir canta-se a aclamação e segue-se a proclamação do Evangelho)

 7. ACLAMAÇÃO E PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO
(Lc 24, 13-35)
 

8. REFLEXÃO ABERTA OU HOMILIA
(Quem preside faz breve reflexão e motiva para a reflexão pessoal e possível partilha)

9. PRECES

P- Nossa oração diante do Cristo Senhor, presente na Eucaristia, prolonga a união que obtemos ao comungar e renova a aliança que nos impele a viver de acordo com o que recebemos pela fé e pelo Sacramento na celebração da Eucaristia. Elevemos espontaneamente nossas preces ao Senhor.

Respostas cantadas:
Escuta-nos, Senhor da Glória!

(Preces espontâneas)

P- Ajudai-nos Senhor a vivermos com gratidão toda a nossa vida na força do alimento celeste, participando na morte e na ressurreição do Senhor. Que sejamos solícitos em praticarmos boas obras e agradar-vos, impregnando o mundo de espírito cristão e transformando-nos em testemunhas de Cristo em tudo, no meio da comunidade humana. Nós vos elevamos toda esta oração rezando juntos como Jesus nos ensinou:
Pai-Nosso...

10. CANTO E BÊNÇÃO DO SANTÍSSIMO

Tão sublime sacramento adoremos neste altar,
Pois o Antigo Testamento deu ao Novo seu lugar.
Venha a fé por suplemento os sentidos completar.

Ao Eterno Pai cantemos e a Jesus, o Salvador.
Ao Espírito exaltemos, na Trindade eterno amor.
Ao Deus uno e trino demos a alegria do louvor.
Amém, Amém!

(Quem preside (Ministro Ordenado) faz a oração, de pé, em seguida dá a bênção com o Santíssimo. Enquanto o repõe no sacrário a assembléia canta um canto de aclamação e louvor ao Senhor).

11. CANTO FINAL

Deus infinito, nós te louvamos * e nos submetemos ao teu poder. * As criaturas no seu mistério, * Mostram a grandeza de quem lhe deu o ser. * Todos os povos sonham e vivem * nesta esperança de encontrar a paz. * Suas histórias todas apontam * para o mesmo rumo onde tu estás.

Santo, Santo, Santo, (2x)
Todo Poderoso é o nosso Deus.

Senhor Jesus Cristo, nós te louvamos * e te agradecemos teu imenso amor. Teu nascimento, teu sofrimento, * Trouxe vida nova onde existe a dor. * Nós te adoramos e acreditamos * que és o Filho santo do nosso Criador. * E professamos tua verdade, * que na humanidade plantou tamanho amor...

Deus infinito, teu santo Espírito * renova o mundo sem jamais cessar. * Nossa esperança, nossos projetos * só se realizam quando ele falar. * Todo-poderoso, somos o teu povo * que na esperança vive a caminhar. * Dá que sejamos teu povo santo * que fará do mundo teu trono e teu altar.

 

 

 

 

 
Copyright © 2008. Diocese Ponta Grossa. Todos os direitos reservados.
Site melhor visualizado em resolução 1024x768 ou superior. Política de Privacidade.
KMM Engenharia de Sistemas